Conference Interpretation

A Dramedy on Conference Interpretation: Chuchotage

A rare glimpse into the exclusive world of conference interpreters

In a little over 15 minutes, director Barnabás Tóth unveils what happens in the interpretation booth. The Hungarian who once flunked admission into interpreter school after graduating from Business Studies in English and French gives us rich details on what happens in international conferences.

Laugh-worthy are the appropriately gesticulating Italian interpreter, a colleague applying make-up, and the verbal agility games between two maestros in the booth. Although the film ends up telling the world what conference interpreters should never do, there’s also a lot of realia in the air: glossary sheets on the booth walls; the fact that interpreters are not part of the protocol and not even part of the guest list.

The title is very a propos, as chuchotage means whispering, in French and also a form of interpreting where the interpreting stands or sits alongside a small target audience and whispers a simultaneous interpretation of what’s being said in the simultaneous mode, so it takes less time than consecutive interpreting.

Grab some popcorn and watch the trailer at: https://vimeo.com/290342030.

Vale a pena contratar um intérprete profissional?

Este vídeo chegou ao meu conhecimento pela colega Roberta Barroca, da Almavox. O vídeo envolve o Aldo, lutador brasileiro de MMA, e uma tradução literal, com uma história sobre um coveiro e s*x* a*a*. Oi? Sim, é isso o que acontece quando se resolve economizar na interpretação!

Tudo isso acontece no contexto de uma entrevista à imprensa, quando a intérprete do lutador foi ex-tre-ma-men-te infeliz na interpretação literal de uma expressão “impublicável” e deixa o jornalista completamente sem graça.  Confiram:

Para entendermos o caso, Aldo estava falando sobre o seu peso:

– Eu já sabia que estava no peso, já tinha feito a pesagem antes, mas como a gente estava falando ali, geralmente eu (me) finjo de morto pra c*** o c** do coveiro – exclama Aldo, sorridente.

A intérprete teria se dado melhor se tivesse apenas falado que o Aldo queria “esconder o jogo” para surpreender os adversários. Ela poderia ter falado: “he likes to play his cards to get ahead of the competition,” or “he likes to play dumb to fool the competitors“. Além disso, ao trabalhar no modo consecutivo, a intérprete poderia ao menos ter perguntado ao Aldo o que ele realmente quis dizer com uma expressão tão idiomática.

Moral da história: SEMPRE contrate  #intérpretes #profissionais para o seu evento, para não passar por esse mico…